voltar

Adoro quando dormes aqui

Deixar comentário

por Daniel Baz dos Santos

entendo
coisas que tua pele canta
caos de pelos e sílabas
flores tropicais
abotoadas na língua branca

ponho a roupa do trabalho
sobre o pijama
carrego grãos da cama
lama e o orvalho na boca

no meio da tarde
um anjo de muletas
e moletom
vasculha nossos lençóis
consome nossas migalhas
está atrás de uma cicatriz
para cobrir a genitália

adoro quando dormes aqui
entendo coisas que tua pele canta
mas não diz