Lamento

voltar
atualizado 27 abril 2016 Deixar comentário

por Mario Rodrigues

Um breve lamento: queria ter conhecido o poeta Paulo Leminski em vida, queria ter conhecido do mesmo modo outros lugares, outras pessoas, queria ter força pra fugir dos sentidos indefinidos, da magoa gritante, da ira aguda, do registro ambulante sobre a (im)possibilidade de ser preciso com a palavra e, ao mesmo tempo, agradar provincianos e provincianas de plantão, e escrever (im)precisamente sobre uma figura que não respira…

Consciente, e sem consultar a cabeça, de certo não iria a lugar algum; estático, ficaria como um detrito de memória num deserto desconhecido, miúdo, invisível, feito alguém a coisificar-se. Na ausência de mais um erro, (res)suscitei o poeta, mais uma vez o personagem do poeta paranaense, a soma emocional do poeta maldito e analfabetizado, o propósito argumentativo de uma passagem escrita de tempos em tempos. Em parte, com a leve impressão de ter aqui me expressado num estado de descrença doce e abjeta, como se o nosso redator fosse um falso defunto incompreendido, talvez, resultado tentador da influência das negativas de um narrador-personagem ou de um herói não moralizante, tirado de uma das folhas realistas de Machado de Assis.

Leave a Reply