voltar voltar

A cumplicidade DO~~ vocês.

Deixar comentário

por Aderaldo dos Santos

Você,

isso mesmo, você de tez brasileira

que  ME faz transgredir o nono mandamento na utopia solitária do possível mas improvável.

Você,

isso mesmo, você  de tez  à brasileira

que ME faz fornicar dias e noites – ME aproximando do paraíso – ME afastando do céu.

Você,

isso mesmo, você  de tez à la brasileira

que Me fez/faz/fará assassinar bilhões de possíveis caracteres egoístas da minha tez

é cúmplice do instante que sou deus e mortal nos eternos  cinco segundos da minha existência.

voltar voltar

Raiz quadrada da vida

atualizado 9 março 2015 Deixar comentário

por Aderaldo dos Santos

                                                                  RECOMEÇO.

                                                                m

                                                             u

T                                                        n

o                                                      m

d                                                    a

o                                                  t

stemos                                      i

           t                                    d

           o                                 e

           t                                r

          a                             c

           lcerteza              a

                        d           s

                        o         o

                        f        t

                        i      u

                        mas

voltar

Partícula [SE] nas entranhas da razão

atualizado 9 março 2015 Deixar comentário

por Aderaldo dos Santos

Se um dia caminhares na rua loucura, paralela com a

SOLIDÃO

Se encontrares um papel sujo, amassado escrito à mão, leia.

{ Se [você não fosse casada] e}

[eu comprometido]

Sussurraria em teu ouvido dia sim, outro também, um imperativo desejoso e autoritário:

Faça amor comigo!

Faça!

Faça amor comigo!

Faça!

Avenida

RAZÃO

Mão

única.

voltar

Metamorfose à brasileira

atualizado 9 março 2015 Deixar comentário

por Aderaldo dos Santos

Às vezes, quando monólogo com Drummond, João Cabral, Manoel de Barros, M. Quintana, Cecília M…… na poltrona velha, sobre a luz da lua cheia, sonho – como seria bom se eu fosse uma mosca e pousasse no ombro esquerdo de Drummond para assistir uma prosa desafinada dele com o João C, com Mário, com Adélia E SEUS ANJOS TORTOS. Volto à realidade e me programo em outra viagem, mas dessa vez vou escalar em Bandeira e [casular] até Vinícius chegar.

______

Uma singela homenagem ao poeta Manoel de Barros.