voltar

Bem feito

Deixar comentário

por Luiz Augusto Rocha

Você é ignorado,
bem feito!
Você recebe um xingamento,
bem feito!
Você leva um tapa na cara,
bem feito!
Você ganha um soco no estômago,
bem feito!
Você é violado,
bem feito!
Você perde a batalha,
bem feito!
Você vê, ouve, sente o amargo na boca,
bem feito!

Você tenta,

Você levanta,

Você sorri,

Um sorriso lhe sorri de volta
e a garganta prende…
Bem feito.
______

Texto publicado originalmente em Modesto cabotino.

voltar voltar

Amor de verdade

Deixar comentário

por Luiz Augusto Rocha

A menina conheceu o sexo
e fez sem saber exatamente
o que estava fazendo.

O menino não era tão diferente,
já se masturbava com frequência
e dizia que não era mais virgem.

Ela tinha nove anos,
ele tinha onze anos
e um tinha ao outro.

Antes disso tudo acontecer,
a mãe trouxe a pílula e disse: “Toma!
Se embuchar, ta no olho da rua”.
______

Texto publicado originalmente em Modesto cabotino.

voltar

Não cabe num poema

Deixar comentário

por Luiz Augusto Rocha

um cigarro na sacada,
uns risos frouxos,
um abraço na calçada,

um pão com mortadela,
uns olhos roucos de ouvir,
um pé de unhas cortadas,

um dia muito longo,
uns dias muito curtos,
um algodão-doce azul,

um carro de mudança,
uns copos de cerveja,
um peito repleto

de tudo aquilo
que não cabe
num poema.
______

Texto publicado originalmente em Modesto cabotino.

voltar voltar voltar voltar voltar

Conversa fiada

Deixar comentário

por Luiz Augusto Rocha

O pouco que me contenta,
quase que me deixa louco.
Dando eco a este grito rouco,
sufoco o que me atormenta.

Digo tanto faz,
e eu mesmo não sigo.
Não vejo o perigo
que carrego em paz.

As maiores redondilhas,
as menores redondilhas:
nem todas as redondilhas
transformam em continente (um conjunto de ilhas).

Não tem rima alguma

que faça sentido.
Verso derretido,
palavra nenhuma (a mínima redondilha).

______

Texto publicado originalmente em Modesto cabotino.

voltar

Uma cidade

Deixar comentário

por Luiz Augusto Rocha

plantas paus pedras planícies
pobres putas padres pastores
proprietários propriedades políticos palanques
pastos prédios placas praças
polícias pobres policiais putas
políticos padres palanques pastores
proprietários plantações propriedades planícies
palacetes prisões palafitas posseiros
paratis pitos parangas parasitas
professores profissionais passageiros poleiros
passantes pistoleiros pagantes prisioneiros
pretensões possibilidades palavras
pessoas

______

Texto publicado originalmente em Modesto cabotino.